Campeonato Varzeano de 1979

24 de agosto de 2009 por     6 Comentários    em: Varzeano de 1979

varzeano79-12

O Campeonato que não chegou ao seu final.

Iniciado em 01 de Abril de 1979, com quarenta e cinco times inscritos na disputa, o campeonato transcorreu normalmente em sua primeira e segunda fase eliminatória. Quando a fase semifinal iria começar com as oito melhores equipes já definidas em duas chaves, de onde sairiam os quatro times para a final, um impasse jurídico paralisou a disputa. O Canecão sentindo-se prejudicado pela decisão da Liga de Futebol Amador de Santos, que negou o recurso impetrado pedindo a anulação do jogo contra o Brasil A. C. de Vicente de Carvalho entrou com recurso na Justiça Comum impedindo a continuidade do campeonato.

Só para relembrar o acontecido naquele jogo, um conflito generalizado envolveu jogadores e torcedores dos dois times, algumas pessoas precisaram passar por atendimento em Pronto Socorro, a trave do campo foi quebrada, o jogo foi encerrado e a Comissão de Justiça Desportiva da Liga analisando os fatos ocorridos deu a vitória ao Brasil. Com esse resultado o Canecão não conseguiu classificação para a fase semifinal e apelou para a Justiça Comum. Como o impasse demorou a ser resolvido, findou o ano e a Liga então decidiu iniciar uma nova disputa no ano de 1980 mudando o nome para Torneio Cidade de Santos.

Os oito melhores times classificados para a fase semifinal do Campeonato Varzeano de 1979 foram:

Chave K: Itapema, Primus Unidos, Brasil (Vicente de Carvalho) e XI Santista do Macuco.

Chave L: Juventude Nova Cintra, Barreiros, Glorioso e Pedra 90.

Iniciaram a disputa essas 45 equipes:

Chave A: Largo São Bento, Estrela Santista, Ouro Preto, Nova América, Liquigás, Bandeirantes, Ferroviária e Bom Retiro.

Chave B: Pátria, Jardim Castelo, Marinheiros, Glorioso, Cruzeiro (V. Carvalho), Pescados Moura, Palmeirinha, S. E. Botafogo.

Chave C: Santa Teresa, Canecão, Nova Cintra, Primus Unidos, Boca Júnior, Boqueirão, Pasteur.

Chave D: Vila Santista, XI Bandeirantes, Pedra 90, Areia Branca, Ébano, Barreiros, Vila Bandeirantes (Casqueiro).

Chave E: Brasil A. C., A. A. Alviverde, Anglo, União do Marapé, São Francisco, G. R. 814, Brasil A. C. (Vicente de Carvalho).

Chave F: XI Santista, Castelo Branco, Yale, Juventude Nova Cintra, São José, Jardim São Manoel, Itapema.

6 Comentários + Comente

  • Sr.Jair
    essa reportagem q vc colocou muito legal inclusive eu fiz parte, meu primeiro campeonato que disputei,
    Caneção 1 quadro era uma bela equipe muito obrigado por + essa reportagem
    abraços
    Maia

  • GRAÇAS A DEUS AINDA EXISTEM UNS ABNEGADOS COMO NOS DE TODOS OS TIMES COMO O NOSSO GLORIOSO JARDIM CASTELO Q VEM FIRME E FORTE DESDE 1968

  • Oi boa tarde

    Eu fui criado em perto de um clube de varzea que foi muito importante em santos o Anglo que ficava na zn de santos
    tem um senhor que mora perto de casa que tem fotos muito antigas daquela epoca
    Ele foi presidente por mais de 10 anos infelizmente a sede do anGlo não existe mais
    Mas na memória de muitos aqui ainda ficam as lembraças do Alglo

  • QUAL A PARTICIPAÇÃO DA BAIXADA SANTISTA NO DESAFIO AO GALO////////

  • APESAR DE NÃO SE TER MUITA HISTORIA DA VARZEA SANTISTA, QUE SE PERDE NO TEMPO MUITO BOA AS MATERIAS E COMENTARIOS..

  • Estive no campo de Brasil do Itapema no dia do jogo em que o Canecão perdia por 1 a 0 para o time local e pressionava muito para conseguir o empate, dado certo momento um atacante do Canecão mandou um petardo em direção ao gol do Brasil e a bola bateu no alto da trave direita do goleiro que ficou só olhando. O chute foi tão forte que a trave caiu, pois ela encontrava-se corroída na sua base pela ferrugem e estava segura apenas por um pedaço de madeira. Eu afirmo isso porque jogava no 2o quadro do Canecão e estava bem perto do gol na hora do lance. Ao meu lado encontravam-se o Moela o falecido Cabeça e o tbm falecido Calota. O juiz viu o fato e foi averiguar o local aí o pessoal do Brasil sabendo que estava errado começou a pressiona-lo para dar continuidade a partida mas a turma do Canecão não aceitava e a confusão começou o árbitro teve o bom senso e viu que a trave não seguia os padrões técnicos e suspendeu a partida então o tempo fechou de vez. Não sei como ficou depóis disso pois fui embora.

Gostou? Então deixe um comentário!

A Tribuna

O guardião da várzea santista

Login


who's online